Eles sobem ao palco do Festival nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro

 

Depois de executar um processo minucioso de seleção que avaliou critérios como dicção, postura, apresentação visual, roteiro, originalidade e criatividade, o Festival de Progresso com Humor selecionou 10 participantes de um total de 24 inscritos.

Eles concorrem aos prêmios na grande final, realizada entre os dias 30 de novembro e 01 de dezembro. O evento será realizado no Grêmio Esportivo Gaúcho, em paralelo à Expofeira de Progresso. A entrada será gratuita para o público.

A terceira edição do Festival de Progresso com Humor conta com o financiamento do Pró-cultura, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, e tem o patrocínio de Biscoitos Zagonel, Construschorr e Cooperativa Certel – A força que nos une.

Conheça a trajetória de cada um dos selecionados:

Erick Clepton, de Porto Alegre

Desde 2007, Erick atua como comediante, ator de improviso e criador de conteúdo digital. Com passagens pelos palcos de grandes nomes da comédia, Clepton já conquistou vários prêmios de humor. Hoje, com o objetivo de espalhar o humor, segue criando conteúdo de comédia para plataformas digitais. Ele conta com 4,8 milhões de seguidores e 92 milhões de likes no TikTok. Em 2021 lançou seu primeiro especial, o “Especial de Dia das Bruxas Estranho do Clepton”. O artista já participou duas vezes do Festival de Progresso com Humor. Em uma delas, conquistou o segundo lugar. “Vou com muita energia para participar uma terceira vez e conquistar a plateia”, espera.

 

Marcio Deni Meneghello, de Passo Fundo

Ator e diretor há 25 anos, Marcio integrou o elenco do Humorístico Zorra Total, de 2012 a 2015, e atualmente faz parte do Canal Multishow, junto a um elenco de estrelas como Tatá Werneck, Samantha Schmütz, Paulinho Serra, Gustavo Mendes entre outros. Ele promete levar para Progresso um resume de suas melhores criações, buscando mais um título para sua carreira.

 

Wilson Santos da Rosa, de Porto Alegre

Wilson começou sua trajetória em 2010, em São Paulo. Por dificuldades financeiras, tocava em bares onde intercalava músicas e histórias. Certo dia ele foi convidado para contar suas histórias em uma participação especial. “Eu não sabia se eu estava tocando mal ou se eu era de fato engraçado. Mesmo assim eu resolvi tentar, e aquele foi meu primeiro Stand Up”. Ele conta que suas histórias têm como roteiro a própria infância, uma forma de descontrair acontecimentos que antes eram amarguras. Quando voltou para Porto Alegre, um ano depois de morar fora do Estado, iniciou no Teatro e não parou desde então. Esta será sua segunda participação no Festival de Progresso com Humor, onde ele deve apresentar um roteiro com paródias e músicas autorais.

 

Welligton de Souza Lescano, de Garibaldi

A jornada de Welligton na comédia começa com o artista fazendo alguns shows com os comediantes regionais, há mais ou menos 8 anos. Desde então, ele busca cada vez mais espaço no mundo da comédia. “Venci um concurso de open mic no Caverna Comedy Club e me tornei comediante regular da casa. Isso possibilitou o contato com os maiores comediantes do Brasil, tanto abrindo os shows como fazendo parte do elenco”, conta. Lescano parte da serra para Progresso em busca de mais uma experiência de palco e, como espera, “mais uma conquista” para a carreira.

 

Matheus Breyer, de Sapiranga

Matheus iniciou na comédia em 2013, em um bar de Porto Alegre. Ele trabalha diretamente com Stand Up, um estilo que envolve a criação de histórias. Roteirista de comédia, ele também atua escrevendo para diferentes finalidades, desde projetos independentes até para outros humoristas. “Hoje tenho um grupo chamado “Os Brothers”, dividido com mais dois amigos, no qual venho trabalhando nos últimos anos”, relata. O Festival de Progresso foi conhecido por Breyer em 2015, através de uma publicação em uma rede social. “Me inscrevi naquela edição e fui selecionado na época. Depois também participei da segunda edição. Em ambas consegui o terceiro lugar”, conta. Para ele, o melhor do Festival é encontrar artistas do mesmo segmento e trocar experiências. “Foi muito bacana viajar para o interior naquela primeira edição e participar de um evento tão bem-organizado como é o Festival. Conhecer pessoas novas e vivenciar o evento como um todo, interagindo com outros artistas e com a comunidade é um diferencial. Estou indo para a terceira edição muito empolgado”, finaliza.

 

Eva Mansk, de São Leopoldo

A comédia Stand-Up cruzou com o caminho de Eva em 2017. Desde então ela já teve oportunidade de apresentar seu estilo em diferentes locais, inclusive no renomado canal “Comedy Central Brasil”. “Tenho percorrido os principais comedy clubs do Brasil, deixando minha marca em palcos consagrados e compartilhando meu humor peculiar com plateias diversas. Recentemente, dei mais um passo ousado ao estrear meu próprio show solo intitulado “Já Te Contei Essa?” – uma experiência que trouxe novas histórias e tem sido muito gratificante”, compartilha.

Segundo Eva, a oportunidade de participar do Festival de Progresso surgiu por meio de um colega comediante que fez a indicação. “Participar desse festival é mais uma alegria na minha carreira e estou ansiosa para levar meu humor para novos horizontes e conquistar ainda mais corações com minhas histórias engraçadas”, resume.

 

Thiago Duarte de Melo, de Betim/MG

Thiago Duarte, ou Thiago Bobs, é conhecido pelo bom humor e pela facilidade de fazer as pessoas rirem independente do grau de proximidade. Como bom Mineiro, resume: “Basta dois dedos de prosa para sentir dor de barriga e anestesiar os músculos da face de tanto rir”.

Em um show de Stand Up Comedy, a biografia de Thiago garante ao público uma hora e meia de puro riso. Bobs já pisou no palco de vários teatros e Comedys em grandes cidades mineiras. Ele também é o atual campeão do Festival de Humor do Triângulo (que contou com convidados como Marcos Veras e Victor Ahmar). Bobs também já participou de palcos onde as plateias aguardavam nomes como Murilo Couto, Renato Albani, Paulinho Gogó, Gio Lisboa e Anderson Profeta.  O Festival surgiu de uma pesquisa na internet que o artista fazia em busca de oportunidades para se apresentar.

 

Rodrigo Becker, de Venâncio Aires

Rodrigo deu início à sua carreira no Stand-up em agosto de 2021, através do “Vale Uma Comédia”, grupo do Vale do Taquari. Ele conta que já teve a oportunidade de dividir o palco com artistas como Gio Lisboa, Nando Viana e Igor Guimarães. “Também passamos a fazer nossas comédias em bares da região, convidando sempre um comediante da capital para fechar a noite”, revela. Becker soube da realização do Festival de Progresso através de uma notícia, que motivou sua inscrição.

Gabriel Sampaio, de Caxias do Sul

“Comecei aqui em Caxias mesmo, em um bar que promovia noites de Stand-up onde eu fazia 5 minutos de apresentação. Quando a iniciativa acabou, comecei a me apresentar em outros lugares da região até 2020, quando a pandemia paralisou as atividades”, conta Gabriel. A necessidade de reinventar seu formato de atuação o levou para as redes sociais, onde hoje soma milhares de visualizações em seus perfis, principalmente com seus personagens.

 

Quélen Taís Malgarizi, de São Leopoldo

Quélen, ou simplesmente “Ursa Malgarizi”, é mãe de 3 filhos e “vive pelos pampas”, como gosta de dizer. Vivendo a quarta e a quinta temporadas de Stand-up no canal “Comedy Central”, ela conta que já conhecia o Festival de Humor, mas só descobriu o prazo de inscrições aberto por meio de um amigo que a informou. A artista levará para Progresso uma apresentação que deve surpreender, com base no currículo de atuações por festivais como o “Mamacitas”, de humor feminino, e de participações como na homenagem aos dez anos de Dercy Gonçalves, a qual participou no Teatro Gazeta, em São Paulo.